terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Versão do WhatsApp para computador está sendo usado por criminosos

Foto: Divulgação

A versão do WhatsApp para PC era um pedido antigo dos usuários que foi atendido pela empresa. Porém, a tentativa de se comunicar pelo computador pode fazer com que você caia em um golpe bancário e fique na pior.

O alerta foi feito pelos analistas da Kaspersky Lab na última semana. Segundo a companhia de segurança, vários anúncios maliciosos na América Latina estão se aproveitam da nova versão do WhatsApp para propagar malware e infectar os usuários.
De acordo com a Kaspersky Lab, já havia uma distribuição de mensagens maliciosas sobre um suposto WhatsApp para PCs muito antes do programa sair.

Foram registradas páginas falsas oferecendo o download do novo aplicativo em português e em espanhol. No Brasil, especialistas da empresa de segurança encontraram vários domínios maliciosos registrados para serem utilizados nestes ataques.

Os especialistas da Kaspersky Lab descobriram também que existem várias versões não oficiais de WhatsApp para PCs que circulam em países de língua espanhola e árabe. O analista sênior de segurança da Kaspersky Lab, Fabio Assolini comenta que os criminosos estão cada dia mais atualizados.

“Não há dúvidas de que o WhatsApp é um dos serviços de mensagens instantâneas mais populares hoje em dia. Os cibercriminosos também estavam atentos a expectativa gerada pela nova versão e estão aproveitando a deixa para aplicar seus golpes.”

Segundo Assolini, não é difícil encontrar cibercriminosos brasileiros se fazendo-se passar por empresas de marketing, oferecendo pacotes de venda para espalhar spam. Infelizmente, não é possível bloquear mensagens de contatos desconhecidos no WhatsApp; a única possibilidade é bloquear o remetente depois que chega a mensagem, o que não resolve completamente o problema.

A Kaspersky recomenda que os usuários visitem os sites oficiais das empresas para fazer downloads de qualquer aplicativo. E é importante não clicar em links recebidos por e-mail, redes sociais ou através de buscadores da web, já que podem ser imitações e causar um baita incômodo.

Fonte: R7


Nenhum comentário:

Postar um comentário