terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Drogas e pornografia infantil lideram acessos na ‘web obscura’

Rede Tor permite a navegação anônima na internet. Foto: Divulgação A maior parte do tráfego da rede Tor – serviço que permite a navegação anônima no chamado “lado negro” da internet – está relacionado a sites com imagens de abuso sexual infantil, indica um estudo recém-lançado.

O levantamento, feito ao longo de seis meses, tentou catalogar os serviços escondidos e os mais populares dessa rede. Muitos são também relacionados à venda de drogas ilegais.

A rede Tor (iniciais de The Onion Router), gratuita, permite que uma pessoa se conecte anonimamente à internet, sem revelar sua identidade ou localização, ao redirecionar a conexão por uma série de computadores e aplicar criptografia às mensagens trocadas nela.

O anonimato oferecido pela rede estimula muitos usuários a criar sites com a extensão .onion que oferecem serviços e produtos ilícitos.

Liderada por Gareth Owen, da Universidade de Portsmouth (Grã-Bretanha), a pesquisa estabeleceu servidores para se conectar à Tor e visitar os sites para baixar conteúdo em HTML para categorizá-lo e monitorar as visitas que eles recebiam.

O tráfego a serviços ocultos na Tor representam cerca de 1,5% de todos os dados processados pela rede em um dia aleatório. Ao longo dos seis meses da pesquisa, Owen e seus colegas viram cerca de 80 mil sites ocultos na Tor.

“A maioria dos serviços escondidos nós vimos apenas uma vez”, disse ele durante apresentação em um congresso de telecomunicações realizado recentemente em Hanover (Alemanha). “Eles tendem a não existir por muito tempo.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário