terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Robinson Faria ‘gastou’ R$ 14 por voto, enquanto Henrique Alves ‘pagou’ R$ 36

65UI56ICandidato derrotado ao Governo do RN, Henrique Eduardo Alves (PMDB) foi o que mais arrecadou na disputa eleitoral. Foram mais de R$ 26,1 milhões para conseguir 734,8 mil votos. O governador eleito, Robinson Faria (PSD), arrecadou menos da metade desse valor. Foram R$ 12,9 milhões e, mesmo assim, conseguiu 877,2 mil votos. Dessa forma, é possível constatar que os votos do pessedista custaram menos da metade dos que o do peemedebista.

Afinal, se for dividido o valor arrecadado (com base na prestação de contas final divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral nesta semana) pelos votos conquistados, pode-se dizer que Robinson “gastou” R$ 14,79 por voto conquistado no segundo e decisivo turno da eleição 2014. Henrique Eduardo Alves, por sua vez, teve que pagar bem mais por cada voto: R$ 36,44.

E é importante ressaltar que boa parte dessas doações recebidas por Henrique, que permitiram que a campanha dele fosse a mais cara do Rio Grande do Norte, partiu de empresas investigadas no escândalo da Petrobras. A construtora Odebrecht SA, por exemplo, foi responsável por financiar R$ 5,5 milhões dos gastos do peemedebista na campanha, conforme mostrou com exclusividade O Jornal de Hoje no final de semana.

O peemedebista recebeu recursos também da OAS, Queiroz Galvão, Galvão Engenharia e Andrade Gutierrez. Desses, destaque para a OAS, que doou R$ 650 mil para Henrique, e a Queiroz Galvão, que financiou outros R$ 2 milhões para o peemedebista. No caso de Robinson Faria, “apenas” R$ 200 mil partiram de empresas envolvidas no esquema. Foram doados pela Galvão Engenharia, que doou o mesmo valor para Henrique Eduardo Alves.

Ciro Marques
Repórter de Política

Nenhum comentário:

Postar um comentário