terça-feira, 11 de novembro de 2014

RN é o segundo Estado do país que mais diminuiu os investimentos em segurança

viaturas-da-policia-civil--WR--(16)Mais uma pesquisa vem reforçar o momento de insegurança que o Rio Grande do Norte vem passando nos últimos anos. Nesta terça-feira (11), o Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgará o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que trará dados referentes ao ano de 2013 em todo o Brasil. Nele, o Rio Grande do Norte aparece como o segundo Estado que mais diminuiu o investimento no setor da segurança, conforme antecipou O Globo desta segunda (10).

Segundo o estudo, seis estados colocaram menos dinheiro no setor em 2013, em comparação com o ano anterior. São eles Ceará, Bahia, Sergipe, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Piauí. Nessa lista o RN aparece na segunda colocação. Em 2012, o orçamento no RN foi de R$ 831,4 milhões e em 2013 o valor baixou para R$ 707,7 milhões, implicando em uma redução de 14,87%. “Desde 2011 que nós estamos falando que os investimentos na área da segurança no RN estão longe do ideal. Os números da violência estão aumentando cada vez mais e nada vem sendo feito. Essa pesquisa só reforça aquilo que nós falamos constantemente”, afirmou Marcos Dionísio, presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos do RN.

Para ele, o maior problema é que, enquanto o Estado investe cada vez menos na segurança, o crime organizado está cada vez mais “poderoso”. “Os nossos órgãos de segurança estão em situação complicada. As vagas dos policiais que se aposentam ou são mortos, raramente são repostas. O efetivo não aumenta. Não existem políticas públicas de prevenção e nem de inclusão social. O próximo governador tem que ter a segurança como prioridade, caso contrário a situação não irá melhorar”.

Em termos de diminuição de investimento, o Rio Grande do Norte só fica atrás do Piauí. O estado destinou R$ 94,5 milhões para a área no ano passado, tornando-se a menor unidade da federação em investimento per capita: apenas R$ 29,67. Apesar de a segurança pública ser uma atribuição dos estados, de acordo com a Constituição, o anuário mostra que os municípios brasileiros investiram R$ 3,59 bilhões na área, valor inferior apenas a São Paulo, Rio e Minas. O gasto é 3,28% maior do que o do ano anterior.

O anuário também traz as estatísticas do número de pessoas mortas pela polícia brasileira de 2009 a 2013. Foram 11.197 óbitos registrados, o equivalente a seis mortes por dia, quantidade pouco superior ao dos Estados Unidos, só que em 30 anos (11.090). Além disso, o estudo mostra que cerca de 500 PMs foram mortos em 2013, sendo 75% fora do horário de serviço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário