quinta-feira, 3 de julho de 2014

PF faz operação contra BBom em 3 cidades

João Francisco de Paulo, proprietário da Embrasystem (BBom), suspeita de
 pirâmide financeira
Escritórios da Embrasystem, dona da marca BBom, foram alvo de batidas policiais nesta terça-feira (1º) após a empresa se negar a fornecer dados à Justiça Federal. 

As buscas foram realizadas em três cidades: Indaiatuba – onde fica a sede da Embrasystem –, Barueri e São José do Rio Preto. A BBom é acusada de ser uma pirâmide financeira que atraiu mais de 300 mil pessoas.

Segundo um funcionário da Polícia Federal em Rio Preto, foram apreendidos documentos solicitados pelo juiz Marcelo Costenaro Cavali, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, e que não foram entregues pela empresa.
O juiz vê indícios de prática de crime financeiro no negócio e pediu a apresentação documentos que permitissem analisar a viabilidade financeira dos produtos e serviços da Embrasystem e das condições econômicas da empresa antes do lançamento da BBom.

Em despacho publicado em janeiro, Costenaro pedia declarações de imposto de renda, demonstrativos de receitas, cópias de notas fiscais de produtos e serviços e dados sobre funcionários da Embrasystem.

Em nota, a PF informou que o inquérito policial está sob segredo de Justiça e não informou o conteúdo dos documentos e arquivos digitais apreendidos.

As investigações criminais contra a Embrasystem começaram em 2013 e, em maio passado, foram questionadas numa decisão provisória do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Procurados, os representantes da BBom não se manifestaram. Eles sempre negaram irregularidades.

IG

Nenhum comentário:

Postar um comentário