segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Abastecimento em São José do Seridó está irregular desde dezembro e comércio da água toma corpo

O abastecimento de água no município de São José do Seridó está irregular desde dezembro do ano passado. A cidade de 4.488 habitantes era abastecida com água de poços que não suportam a demanda e secaram.

Em colapso, o município abriu espaço para o comércio da água. Em abril passado, o ex-militar Fransualdo de Araújo, 28 anos, investiu R$ 30 mil na aquisição de um caminhão, dez caixas d’água e contratação de um funcionário. Desde então, passou a vender água. Cobra R$ 10,00 por dez mil litros. “Pago R$ 2,00 para retirar a água num poço que tem aqui perto e vendo em São José do Seridó”, diz. A demanda é grande. “É de domingo a domingo.

Começo a trabalhar às 5h e só termino depois das 18h”, explica. Ironicamente, o ajudante de Fransualdo, o jovem Bergson Ferreira, 24 anos, usa, para se proteger do sol, um boné da Caern. “Meu tio trabalhava lá e me deu esse boné”, diz.


Nenhum comentário:

Postar um comentário